Início > Notícias > Segurança da Informação e Proteção de Dados Pessoais são temas do curso de boas práticas de telemedicina e telessaúde da Saúde Digital Brasil

Compartilhe:

Segurança da Informação e Proteção de Dados Pessoais são temas do curso de boas práticas de telemedicina e telessaúde da Saúde Digital Brasil

1 de junho de 2024 12:01

Aspectos práticos desse importante tema aplicados à saúde digital está entre os módulos a serem abordados durante a iniciativa on-line que aborda diferentes temas do universo da telessaúde

Visando preencher uma lacuna importante existente no mercado de capacitação para atuação na saúde digital, a Saúde Digital Brasil, associação, fundada em 2020, que congrega os maiores players de saúde digital do país, lançou recentemente, com o apoio da Galen Academy, o primeiro curso de boas práticas de telemedicina e telessaúde da América Latina. No formato de Educação a Distância (EaD), trata de temas distintos dentro do universo da saúde digital, Segurança da Informação e Proteção de Dados Pessoais: Aspectos práticos aplicados à Saúde Digital está entre eles.

 

O objetivo da iniciativa que tem como foco não somente os profissionais de saúde que lidam com a tecnologia para realizar atendimentos em suas especialidades, mas também gestores de clínicas, hospitais, laboratórios, entre outros, assim como representantes de outras áreas que desejam entender esse promissor mercado, é ajudar a garantir que a jornada seja bem-sucedida do começo ao fim, viabilizando não só um atendimento de qualidade como um melhor desfecho clínico.

 

Segundo Victor Prata, coordenador do Grupo de Trabalho de Segurança da Informação e Proteção de Dados da SDB, proteção de dados e segurança da informação são áreas de sustentação em qualquer negócio. Isso é especialmente crítico quando se trata da saúde digital, com um volume gigantesco e escalável de informações sensíveis e críticas.  Além disso, é importante ressaltar que segurança e privacidade de dados, são parte importante da estratégia de sustentação e crescimento dos negócios, sendo considerados diferenciais competitivos no mercado de saúde digital. 

 

“Saúde digital é um dos setores de maior risco em termos de segurança da informação e proteção de dados, a começar por estar relacionado a saúde, que por si só já é sensível e altamente regulado, tanto em âmbito governamental, como os nos próprios conselhos.  Qualquer risco de vazamento coloca em risco não só a segurança do paciente como a reputação da instituição. Um paciente que não se sinta seguro em uma plataforma, ele não vai usá-la. Assim como hospital e plano de saúde não farão negócios se souberem de um vazamento de dados”, explica Prata. 

 

Diante desse cenário, ter um nível de conhecimento mínimo para fazer a ponte entre o que precisa ser feito e como fazer é mandatório.  E é exatamente essas necessidades endereçadas no módulo coordenado pelo executivo. As aulas visam trazer entendimento do melhor caminho parase começar e a melhor forma de direcionar seus esforços, abordando ferramentas para que pessoas com diferentes níveis de conhecimento, incluindo as que ainda são iniciantes no assunto, possam avançar. 

 

“Qualquer pessoa, seja o investidor que pretende entrar na área, médicos interessados em mergulhar na saúde digital e atender usando a telemedicina, ou empreendedores, reconhecem a necessidade de adequação à LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados)  e investir em ferramentas e prevenir incidentes de segurança. No entanto, ainda não possuem um plano de ação e não sabem como chegar lá”, reforça. 

 

Mais informações

História da digitalização da saúde; Telessaúde e Telemedicina: Conceitos e Modalidades; Os principais tipos de atendimento por telessaúde; Integração do atendimento presencial e remoto (continuidade do cuidado com telemonitoramento); Dispositivos de Propedêutica avançada; Emissão de documentos médicos e prescrição por Telemedicina; Controle de qualidade dos processos de Teleatendimento; Urgência e Emergência na telemedicina; Populações especiais; Cadastramento e elegibilidade; O desafio de associar a tecnologia com humanização; Legislação e especificidades na área de saúde; princípios e boas práticas sobre prescrição eletrônica; O que a experiência internacional nos diz e para onde queremos avançar? Os desafios no avanço da Interoperabilidade; e Regulação da Telemedicina no Brasil estão entre os demais que são tratados no curso de boas práticas de telemedicina e telessaúde. 

 

Para inscrever-se basta acessar esse link . Associados da SDB têm desconto mediante comprovação de vínculo. 

 

 

Assine nossa newsletter

    Assine a nossa newsletter para se manter sempre atualizado sobre notícias e eventos do mercado.



    Notícias SDB

    Assine nossa newsletter

      Copyright 2024 - Saúde Digital Brasil – Todos os direitos reservados

      Granza

      Posso ajudar?